Livra Livro: Março 2019

março 17, 2019

Resenha de Livro - Sem Clima para o Amor - Rachel Gibson

Resenha de Livro - Sem Clima para o Amor - Rachel Gibson
Sem Clima para o Amor
Série Writers #2
Rachel Gibson

Meu primeiro contato com os livros da Rachel Gibson foi através do livro "Loucamente Sua",  adoro um chick-lit, e não resisti também a capa do livro, que estava linda. Bom, desde que li Loucamente Sua, venho lendo os outros livros da autora que foram saindo. " Sem Clima para o amor, assim que a editora lançou fiquei doida para ler, a sinopse me agradou e a capa também. Mas, deixou um pouco a desejar, achei a estória umpouco corrida. Vamos a resenha:

Em " Sem Clima para o Amor" conhecemos Clare Wingate, vem de uma família rica, que não seguiu os sonhos e desejos de sua mãe. Clare é uma escritora de romances para mulheres. Assim, sua mãe não acha que isso seja realmente um trabalho e sim um passa-tempo para Clare.
No dia do casamento de sua melhor amiga, Lucy, Clare, encontra seu marido, em uma situação embaraçosa com um homem.
   Tentando esquecer o que seus olhos flagraram, Clare vai para o casamento e afoga suas mágoas na bebida. Clare acaba embriagada, e acorda seminua na cama deSebastian Vaughan, um velho amigo de infância. Clare não se lembra de nada da noite passada, e se recusa a acreditar que dormiu com Sebastian, logo com Sebastian. Apesar dele ser muito atraente.
    Já podemos ver em que isso vai dar né? Enfim.. Sebastian Vaughan, é um jornalista, que está de volta a vida e a antiga casa onde Clare passou a sua infância. Leo, pai de Sebastian, trabalha na mansão da Sr. Wingate. Clare e Sebastian foram amigos na infância, e Sebastian sempre implicava e tirava sarro com Clare, sempre sujando seus vestidos. Desde a infância Clare aprendeu a nunca confiar em Sebastian Vaughan.
Mas como que ela poderá resistir a esse homem, charmoso? Clare não pode negar que Sebastian está muito atraente e coloca na sua cabeça que não pode de jeito algum se envolver. Mas como ambos irão resistir? Já que sentem tão atraídos um pelo outro?
Uma estória muito gostosa de ler, tem clichê claro, mas quem não gosta? A narrativa é em terceira pessoa, e isso me incomodou um pouco no início da leitura, mas depois conforme me envolvi na estória já não me incomodava tanto. Os personagens são ótimos, muito engraçados e sempre que estavam juntos, sempre me via rindo. As amigas de Clare, também são escritoras e são muito engraçadas, adorava quando estavam todas juntas. Sebastian é um homem muito sábio, que sabe com conquistar uma mulher, ainda mas quando está fragilizada.
Clare, tentava se mostrar forte, mas nunca consegui dizer não para si mesma e muito menos para Sebastian.
O Livro é muito gostoso e envolvente, mas não teve aquele romance sabe, foi tudo muito rápido. O livro começou a ficar realmente bom, já no final e odeio quando isso acontece, deixa um gosto de quero mais.
Se clima para o amor,é o segundo livro da série Writers, onde os personagens são escritores famosos.

março 17, 2019

Resenha de Livro - Sangue na Neve - Lisa Gardner

Resenha  de Livro - Sangue na Neve - Lisa Gardner

Sangue na Neve

Lisa Gardner
Editora Novo Conceito

Sou apaixonada por livros policiais, investigativos e recentemente consegui adquirir um que estava doida para ler, que é " Sangue na Neve" da Lisa Gardner que tem seu livros lançados aqui no Brasil pela Editora Novo Conceito. Assim que a editora lançou o primeiro Viva para Contar, fiquei doidinha, já que é um gênero que amo.
Enfim consegui meu exemplar e... que livro gente. Vamos a resenha:

Sangue na Neve é o 5º livro da Lisa sobre a detetive D.D Warren, um livro que não faz com que você se sinta perdido, já que faz parte de uma série. Você pode ler tranquilo fora da ordem que não irá se perder.
D.D Warren é uma experiente detetive, que mergulha de cabeça no seu trabalho e não sossega até encontrar os assassinos, assim seu trabalho consome boa parte de sua vida.
D.D está com um caso delicado, onde a policial Tessa Leoni foi acusada de matar seu marido, Brian Darby em legitima defesa.
Jovem e grávida, Tessa se interessou em entrar para a policia, para ter um futuro digno com sua filha, Sophie. Tessa Leoni agora é uma Trooper, uma policial de Boston. Em um dia normal, é recebido um chamado de uma briga doméstica, onde a policial Leoni está envolvida. Seu marido é encontrado morto em sua cozinha com três tiros no peito, sua filha está desaparecida e Tessa está sendo acusada de matar seu próprio marido com sua arma de trabalho. Com hematomas pelo corpo, dá uma ideia de que foi espancada pelo marido e agiu em legitima defesa. Mas, e a pequena Sophie, onde está a sua filha? Será que foi uma briga doméstica mesmo? O que realmente aconteceu na casa de Tessa e Brian? O que aconteceu com Sophie Leoni?
   A Detetive D.D tem o caso nas mãos e contará com a ajuda do investigador Bobby Dodge.
O que os intriga mais nessa história é que a policial não tentou fugir, não tentou negar nada. O que acabam pensando que Tessa pode ter matado a própria filha. Tessa é uma mulher muito inteligente, e faz jogos com os detetives, o que deixa mais claro que tem muita coisa escondida nessa história.
   Uma investigação que te deixa ligado e cheio de curiosidade para descobrir logo quem matou quem e quem é o verdadeiro culpado. De inicio, a história demora a se desenrolar, o livro é contado entre o ponto de vista da Detetive D.D e em alguns capítulos pelo ponto de vista da policial Tessa Leoni. Então vemos os dois lados da história, e isso é que deixa aquela pulguinha trás da orelha. Um livro com reviravoltas, muita emoção que vai te prender do inicio ao fim!! Recomendo!!

março 17, 2019

Filme: Divergente - Opinião

Filme: Divergente - Opinião
Filme: Divergente 

Hoje venho compartilhar a minha opinião com vocês sobre o filme "Divergente". Já viram?
Bom, não sou especialista em falar sobre filmes, irei apenas falar sobre o que achei da adaptação.

Bom, o filme começa com a Beatrice/Tris explicando sobre a nova Chicago, e apresentando a sociedade, que foi dividida em cinco facções, Abnegação; Audácia; Erudição; Franqueza e Amizade, depois de descobrir que a culpa de um viver em guerra, é da personalidade da pessoa, ou a sua afinidade em fazer o mal. As facções tem vivido muito bem durante anos, uma ajudando a outra na paz.
Os Jovens, ao completarem 16 anos, tem de escolherem em que facção querem pertencer para o resto da vida, uma escolha que não terá volta. Beatrice que pertence a Abnegação, a facção dos altruístas, pode decidir se quer continuar na sua facção de origem ou mudar de facção, deixando seus pais para trás e seguindo uma nova vida.
Antes de escolherem em qual facção os jovens querem se mudar, eles passam por um teste, um teste pra ver em qual facção iram se encaixar segundo a sua personalidade. Mas é na cerimônia que iram escolher a sua nova facção, diante de seus familiares. Nossa querida Beatrice, escolhe para a surpresa de seus pais, a Audácia, a facção rebelde e intimidadora, que tem a função de proteger a cidade, a Audácia é a facção dos corajosos.
Escolha feita. Caminho sem volta. Agora como uma membra da Audácia, Beatrice passa a ser apenas, Tris. Facção nova, nome novo. Tris, pensa ter feito a escolha errada, uma vez que seu teste deu aptidão para três facção, sendo que teria apenas de dar um. Tris recebe a noticia de que é Divergente. Divergente são pessoas que não podem ser controladas, sendo assim uma ameaça a outras facções, e precisam ser eliminados.

O filme me agradou em partes, vi muitas pessoas falando que o filme foi fiel ao livro, eu não vi isso. Teve muitas partes retiradas, algumas cenas modificadas aqui e ali. Senti muita falta (drama) de uns personagens no filme, personagens esses que para mim são essenciais.. (drama novamente)... senti falta de umas lutas aqui, e outras ali, cenas que cortaram que pra quem não leu o livro não entenderia.
O que me incomodou também foi o fato de não mostrarem direito o que levou os personagens a querer jogar a Tris no fosso, ficou muito mal explicada e pra quem não leu o livro meio que não entendeu o motivo, eu acredito né... Enfim.. deixou a desejar na minha opinião!

As atuações... a Shailene Woodley deu um show... quando comecei a ler o livro não imaginava essa garota como a Tris, não entrava na minha cabeça de maneira nenhuma... mas Shailene sambou na minha cara, com uma ótima atuação, dando vida a Beatrice Audácia, uma jovem cheia de garra e lutando pelo aquilo que acredita. E o Theo James? De inicio não me agradou, o personagem no livro Quatro é muito mais legal, Quatro no filme ficou chato e um tanto arrogante. Caleb Prior irmão de Tris interpretado pelo ator , Ansel Elgort e par romântico de Shailene em A Culpa é das Estrelas.

A Jeanine interpretada pela atriz Kate Winslet, não me agradou no filme, a mulher cheia de sede de vingança, doida para matar, não apareceu no filme. Apareceu uma mulher simples, muito educada, que desfilava com seu terninho azul pra lá e pra cá. Não foi aquela vilã... que eu estava esperando!

O romance deu uma melhorada no humor de Quatro/Tobias, se envolvendo a linda da Tris, seu humor ficou bem melhor e voltou a ser o Quatro do livro que eu tanto gosto. O romance não ganhou tanto espaço assim no filme, já que focou mais nas cenas de lutas e ação. O que me agradou bastante.
As cenas de ação foram muito bem contracenadas, Tris se mostrou forte do inicio ao fim.
As passagens do medo, poderiam ter sido mais exploradas, ão só focando na da Tris e sim de outros participantes.


Divergente não teve um investimento merecido e tal, mas acho que poderia ter feito um pouco mais parecido com o livro, e ter colocado certas cenas. Claro que gostei, não amei, mas gostei de ver. E espero que em Insurgente a Shailene continue assim, interpretando a Tris com essa garra que foi em Divergente. Um filme que mostrou o espirito do livro, um livro que fala sobre amizades, intrigas, pode conseguiu passar isso com certas coisas faltando.
Insurgente, surpreenda-me!!!

março 17, 2019

Resenha de Livro - A Seleção - Kiera Cass

Resenha de Livro - A Seleção - Kiera Cass
A Seleção
Kiera Cass
Editora: Seguinte


A Seleção, primeiro livro da séria distópica da autora Kiera Cass. Em um futuro onde um novo país é instituído depois de várias guerras surge Illá. Estamos de volta a monarquia, onde a sociedade é dividida por castas. Desde os oitos que são os mais pobres até o um onde se encontra o rei. As casta são onde podemos perceber, suas profissões, seus dinheiros e a posição na sociedade.
A realeza que são de casta Um, tem o objetivo de realizar um concurso, com o nome a Seleção, onde 35 meninas terão a oportunidade de se tornarem uma princesa e de se tornarem uma Um. O príncipe como herdeiro do trono tem como encontrar uma princesa, aquela que será a sua esposa e companheira para o resto da vida. Aquela que terá de dar o exemplo para o país. Aquela que o povo terá de admirar e se inspirar. Diante desse concurso apenas uma será a princesa de Illéa.
  A seleção será transmitida para o país todo, como um reality show, onde mostrará a disputa entre as meninas pela coroa e pelo coração do príncipe.
Conhecemos America, uma jovem de casta Cinco, onde a sua família ganha a vida com a arte. America é uma bela artista, canta em festas, toca instrumentos em eventos junto de sua mãe. Seu pai, uma homem doce é um ótimo pintor. Com uma família feliz e unida America tem medo de decepcioná-los, já que nutre umamor proibido por Aspen, um jovem de casta Seis. É inaceitável uma jovem se casar com alguém de uma casta inferior. Sonha com o dia quem será pedida em casamento. Mas tudo muda quando recebe a carta de convocação para A Seleção.
Decidida a não se inscrever por achar um absurdo, um concurso pela disputa de uma pessoa que ela não conhece e pensa que não será da noite para o dia que irá se apaixonar por um desconhecido. Mas America é preciosa pela mãe a se inscrever e para sua surpresa pela de Aspen também. Já que ele não se perdoaria se America perdesse a chance de melhorar de vida. Com tanta pressão, America se inscreve mas para agradar aos outros, já que tem certeza de que o príncipe não irá se interessar por ela. Mas... para a surpresa de todos e inclusive a dela America foi selecionada para A Seleção e irá participar da disputa pela coroa e o coração do príncipe Maxon.
Com uma narrativa bem simples e gostosa, você não vê a hora passar. É um livro tão fofo com personagens ótimos e cativantes que fica difícil de largar. America narra, e é super engraçada, uma jovem humilde e impulsiva. Apesar deter momentos difíceis, como a pobreza das castas e o sofrimento das pessoas. America consegue deixar o livro muito leve, ela contagia cada página. America com seu jeito impulsiva deixa aquela expectativa do que estar por vim, do que ela irá aprontar ou falar, que me deixa mais curiosa.
America no palácio diante de outras meninas de castas melhores, tentando se encaixar aquela nova etapa da sua vida, tentando se encaixar a realeza e despertar a atenção de um príncipe.
   O Príncipe é um perfeito cavalheiro, desde seu primeiro encontro com America já se percebe um certo encantamento pela forma simples e impulsiva de America.
Um livro que ultrapassou as minhas expectativas, pensei que fosse ser um romance chato e arrastado, mas me surpreendeu. Apesar de ser uma distopia, o livro é bem diferente, personagens diferentes e um rumo totalmente diferente das outras. Super recomendo a leitura, não irão se arrepender!! A Seleção, sem dúvida me surpreendeu, de inicio pensei que fosse um livro sobre contos de fadas e tal. Mas, me surpreendi, não só por não ser um livro fantasioso, mas com um proposito, de mostrar como as pessoas são e como que lutam para conseguir e lutar pelo que acham certo.

março 17, 2019

Resenha de Livro - O Teorema Katherine - John Green

Resenha de Livro - O Teorema Katherine - John Green
O Teorema Katherine
John Green
Editora Intrínseca
♥ ♥ ♥ ♥ ♥


   Teorema Katherine conhecemos Colin Singleton, um jovem que acabou de levar o fora da 19ª Katherine. Isso mesmo, Colin um fuggin* nerd, namorou 19 Katherines, dá pra acreditar?
Colin é um menino prodígio de apenas 17 anos, de uma inteligência inacreditável, aprende fácil, gosta de desafios e de anagramas, de qualquer palavra ou frase a ele que irá se diverti fazendo anagramas. Colin está na pior, levou mais um fora de uma Katherine e não consegue entender porque todas terminam com ele, junto de seu melhor amigo Hassan, outro jovem meio nerd, mas que não quer nada com a vida, não quer ir para a faculdade, só ficar em casa sem fazer nada coçando o saco(palavras dele), é o que ele faz de melhor! Hassan é um jovem inteligente não tanto quanto Colin, mas sempre está de bom humor, sempre tentando ajudar Colin depois de levar o fora das Katherines.
Colin está ficando velho e com um certo medo de não passar de um simples prodígio, Colin quer mais, quer ser um gênio e descobrir o sue momento "eureca". Mas se vê cada vez mais distante disso.
    Cansado de esperar que a Katherine ligue para ele dizendo que se arrependeu por ter terminado com ele, decide juntar umas roupas e cair na estrada, respirar, organizar a cabeça e viver uma aventura junto de seu amigo Hassan. Sem destinos os dois caem na estrada sem rumo e acabam indo para em uma cidadezinha chamada Gutshot, para visitar o túmulo do arquiduque Francisco Ferdinando.
Em Gutshot é que Colin descobre seu momento "eureca", com os término do namoro, Colin fica motivado a criar um teorema matemático, capaz de prever a duração dos relacionamentos e quem seria o Terminante e o Terminado. Através desse teorema é que passamos a conhecer melhor os relacionamentos de Colin com as Katherines.
Na pequena cidade, eles conhecem Lindsey uma jovem muito engraçada e inteligente para a cidade pacata onde vive. Também conhecem Hollis mãe da Lindsey e dona da fábrica que mantém boa parte da população trabalhando e tendo renda para suas famílias. Hollis oferece um emprego para os meninos, entrevistar os moradores antigos da cidade junto de sua filha Lindsey.
O livro gira em torno do teorema de Colin e de sua nova vida junto de sue amigo na pequena Gutshot. Colin e Hassan são ótimos, e seus momentos nessa cidade são hilários. Acostumados com Chicago, barulho sem muito contato com a natureza, irão se aventurar até em caçar Javalis.
    A narrativa de John Green é ótima, algumas pessoas poderão não gostar da narrativa ou não se identificar com o Colin, já que ele é um nerd e fala, fala sobre teorias e matemática então algumas pessoas podem achar meio entediante. Hassan é sem dúvida muito engraçado e foi o grande responsável por tirar muitas das minhas risadas, até fiquei meio constrangida, devido a rir alto dentro do ônibus, quem nunca? Enfim, a amizade de Colin e Hassan é ótima e percebemos que um pode contar com o outro, e apesar de suas religiões isso não os impedem de terem uma amizade (Colin é Judeu e Hassan, Mulçumano)
Colin, Hassan e Lindsey se tornam amigos e saem juntos para as entrevistas e isso vai deixando com que fiquei mais próximos. Lindsey é inteligente, mas totalmente diferente de Colin, Lindsey não quer ser famosa, não quer ficar em evidência, prefere sua vidinha naquela cidade pacata.
John Green mais uma vez me conquistou com seus personagens nerds, apesar de ser um livro que não tem um final impactante como os outros que li, um livro emocionante e tals.
O Teorema Katherine é um livro inteligente e divertido, fala sobre os jovens e suas neuras, de um jeito bem tranquilo e engraçado que só Green consegue. Recomendo o livro, mas não crie expectativas, achando que vai seguir o estilo de " A Culpa é das Estrelas" porque não vai, é bem diferente! 

março 17, 2019

Resenha - O Palácio da Meia - Noite - Carlos Ruiz Zafón

Resenha - O Palácio da Meia - Noite -  Carlos Ruiz Zafón
O Palácio da Meia - Noite
Carlos Ruiz Zafón
Editora: Suma das Letras
Trilogia Névoa
  • O Príncipe da Névoa
  • O Palácio da Meia - Noite
  • As Luzes de Setembro

    Em o Palácio da Meia - Noite embarcamos em mais uma aventura e mistérios criado pelo Zafón,  um livro tão gostoso de ser lido, regado de mistério e com uma narrativa tão viva que fica impossível querer abandonar o livro por alguns minutos. O Palácio da Meia – Noite faz parte da trilogia Névoa, mas pelo que eu percebi são histórias totalmente diferentes, o único fator em comum é que as aventuras são vividas por crianças super curiosas e aventureiras que não dispensam um bom mistério e muito menos a amizade.
   A história começa com um soldado inglês tentando salvar a vida de duas crianças da morte.  Salvar a vida das crianças da unica mulher que ele amou na vida, sabendo que não passará dessa noite, o soldado tenta encontrar um lugar seguro para as crianças e procura pela avó das crianças Aryami Bosé que decide que o melhor a se fazer é separar as crianças já que correm perigos juntas. As crianças foram criadas separadas,  o menino foi para o orfanato St’s Patrick que lá ganhou o nome de Ben. A menina Sheere leva uma vida de viajante junto de sua avó.
  Dezesseis anos se passaram, e Ben vive sua última noite no St’s Patrick, onde fez ótimas amizades. Lá, conhece Isobel, Ian, Seth, Siraj, Michel e montaram o Chowbar Society.  Um clube onde se reúnem para contar histórias que nunca contaram a ninguém, também e um grupo onde dividem seus medos  e ajudam uns aos outros. E é nesse grupo que Ben e Sheere se encontram, mas ainda não sabem que são irmãos. Mas devido ao relato da história que Sheere dividiu com o grupo começam uma busca pelo pai de Sheere, um grande construtor que acabou construindo uma coisa que seria ótima para o crescimento da cidade, mas que acabou sendo um grande desastre.
  Nesses dezesseis anos, o homem que perseguia as crianças está de volta, atrás de algo que o pertence, mas o que seria? Ele não pretende ir embora de mãos vazias como da outra vez. E pela sua presença na pequena cidade, coisas estranha começam a acontecer. E a partir desses acontecimentos o Chowbar Society começa um investigação a fundo sobre a vida desse homem que tanto persegue os irmãos.
  Aryami Bosé esconde alguns segredos, e é através dela que as crianças descobrem mais sobre esse perseguidor. E descobrem que se trata de um espirito que está atrás de vingança. Através de histórias do passado, os jovens da Chowbar Society embarcaram em várias aventuras e mistérios através do Passáro de Fogo.


março 17, 2019

Resenha - Um Caso Perdido - Colleen Hoover

Resenha -  Um Caso Perdido  - Colleen Hoover



Um Caso Perdido
Colleen Hoover
Editora: Galera



     Em "Um Caso perdido" conhecemos Sky uma jovem de 18 anos que é conhecida assim como sua melhor amiga Six como vadias, mas isso é só boato pelo menos da parte da Sky, já sua amiga gosta muito de curti a vida e os garotos. Sky é jovem e claro que ela teve alguns namorados e ficantes, mas nada se comparado a uma vadia, junto de sua amiga adora sorvete e adora dar sabor aos garotos. Mas Sky não se empolga muito com esses garotos, não sente atração alguma por eles e já chegou a pensar que talvez fosse lésbica.
Mas isso foi descartado rapidamente, já que se sentiu super atraído por Holder, mas depois da atração, sentiu algo assustador, algo estranho, ainda mais depois de Holder a confundir com outra pessoa e a segui-la até o estacionamento deixando-a apavorada com seu comportamento depois de conferir sua identidade e não ficar satisfeito por não ser quem ele pensava que fosse.
Depois desse encontro inusitado no estacionamento, o destino começava a ajudar esses dois a se encontrarem e trocarem farpas, pelo menos Sky não deixava uma passar, sempre o atacando, com base nos boatos que escutou sobre Holder. Mas Holder não se deixa abalar com os insultos, sempre paciente com Sky, tentando a convencer de que não passava de boatos. Com vários encontros, eles acabam se entendendo e Holder acaba dando uma explicação a Sky, mas deixa uma impressão de que esconde alguma coisa, e isso que esconde afeta seu comportamento e personalidade. Os segredos de Holder dão um rumo a história, deixando a história cada página melhor e surpreendendo.
De inicio pensava que fosse mais um livro adolescente com aqueles problemas típicos de adolescentes e um bad boy envolvido no meio, tem isso mas nada que estou acostumada a ver nos livros. A história é tão forte nas últimas páginas que ficava de queixo caído com os acontecimentos de tão fortes que eram, um drama bem realista na minha opinião, que sentia um embrulho no estomago só de saber que pelo que a personagem passou, e pensar que tem gente que passa por isso, é uma coisa bem triste e revoltante.
   A narrativa da Colleen mais uma vez me prendeu, já conhecia a escrita da autora lendo "Métrica" e não seria diferente mais um livro fantástico.
Os personagens são ótimos bem construídos e com uma bagagem bem pesada digamos assim, quando os segredos começam a aparecer a coisa fica bem pesada, mas ambos se mostram forte com tudo que aconteceu e com tudo que está acontecendo.
Holder é um amor, um verdadeiro anjo para Sky, sempre ali apoiando e dando força. Sky, uma menina tão guerreira diante dos acontecimentos, que você fica pensando da onde sai essa força. Super recomendo o livro, não pensei que seja mais um livro de romances adolescentes vai muito além...


Copyright © 2016 Livra Livro , Blogger